segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

A Sarça Ardente - Acácia de Fogo


A Bíblia, assim como outros livros antigos, está repleto de mitologias e muitos desses mitos têm fortes ligações com as árvores e seus cultos. Uma das passagens mais notáveis desta escritura é quando Iahweh (Javé ou Jeová) se apresenta a Moisés através de uma acácia.
Muitos desconhecem o significado da palavra "sarça ardente", mas é de suma importância que seja explicado para que todo o contexto da história tenha sentido. Alguns cristãos sequer sabem o que é uma sarça, embora algumas imagens mostrem uma pequena árvore em chamas.
Sarça é um sinônimo botânico para plantas com espinhos e a espécie que está relacionada à passagem bíblica se trata de uma 'Acácia-brava' ou 'Acácia-sarça' (Boswellia sacra). No caso, uma acácia com espinhos, também conhecida como 'Shittah'.
Deus podia ter adquirido qualquer forma para se manifestar e muitos se perguntam quais os motivos dele se mostrar como uma "acácia em chamas" e não em outra forma qualquer.
Primeiramente, é necessário esclarecer que a acácia já era considerada uma espécie sagrada para muitos dos antigos povos do oriente médio. Hebreus e egípcios, entre outros, a tinham como uma árvore de grande veneração e sua madeira era utilizada na fabricação de objetos rituais e mesas para altares. Dizem, inclusive, que a arca da aliança também fora feita da madeira de acácia. Muitos dos sarcófagos dos antigos faraós também eram fabricados com esta madeira. Tal uso se dava pelo fato dela não apodrecer. Isto fazia com que a tivessem como um símbolo de longevidade e imortalidade.
O Franquincenso, um dos itens oferecido pelos Reis Magos ao menino Jesus, é obtido através da seiva desta árvore que, quando queimada, exala um aroma perfumado muito utilizado nos ritos de purificação. Ele também é conhecido como Olíbano, palavra que vem do árabe e quer dizer "leite", em referência sua cor branca (leia no post  Os Reis Magos - Ouro, Incenso e Mirra).
Bem, voltemos a escolha de Iahweh para manifestar-se através de uma 'acácia em chamas'. O mitólogo Robert Graves diz que o fato se explica já no primeiro mandamento dado a Moisés: "Sou o Senhor teu Deus e não terás outros deuses diante de mim". Em outra passagem ele conclui: "Pois sou um Deus ciumento".
De acordo com as palavras de Graves (A Deusa Branca), a acácia espinhosa é uma espécie autossuficiente, não necessita de muita água, e sufoca com suas raízes qualquer árvore que cresça ao seu redor. Suas flores também têm o poder de cegar, as sementes de levar à morte, e a única parte da planta utilizada como antídoto é a raiz. Isto quer dizer que deve-se ter cautela quando se trata de uma árvore como esta.
O fato de Deus se apresentar a Moisés como uma acácia em chamas está ligado à própria natureza e simbologia da árvore. Temida por seus espinhos, sementes e flores (o Deus que deve ser sempre temido), solitária e que sufoca as demais (não terás outros deuses pois ele é um Deus ciumento) e autossuficiente (sou o que sou e tudo posso).
Quanto as chamas, elas estão ligadas ao sol. Desde a antiguidade o "Deus Sol" sempre fora representado como o "deus maior", portanto, o fato da acácia arder como sol ao ponto de ofuscar a vista de Moisés, está relacionado ao poder do grande astro rei que sempre fora cultuado como um arquétipo masculino. Dai então pode-se compreender os motivos pelos quais, embora o Deus judaico-cristão não seja necessariamente sexuado, é simbolizado como uma figura paterna.

9 comentários:

Paulo Antunes disse...

Muito bom... Gostei! Obrigado

Unknown disse...

Uma visão desconhecida a mim até então, gostei das curiosidades que envolveram a escolha de Deus por uma "acácia brava",parabéns

Revalida 2016 disse...

Interessante interpretação.

Fran A.D disse...

ESSAS INFORMAÇÕES PROCEDEM MESMO.
TEM RESPAUDO BÍBLICO PARA AS INTERPRETAÇÕES.
SÃO DUAS PERGUNTAS, MEU TECLADO NÃO TEM O PONTO DE INTERROGAÇÃO.
SÓ QUERO TER A CERTEZA, POIS ACHEI INTERESSANTE ESSA INTEPRETAÇÃO E VALIOSA. OBRIGADO, DESDE JÁ AGRADEÇO.

Hugo disse...

Olá Fran, agradeço pela visita ao blog.
Sim, esta informação tem respaldo teológico e histórico, a sarça ardente era mesmo uma Acácia e essas características da árvore são dados botânicos. Quanto a analogia, é uma interpretação, e eu não posso te afirmar com toda certeza de que era isso mesmo que a escritura queria dizer e se era exatamente por isso que a Acácia foi a eleita de Javé, segundo o autor. A Bíblia é repleta de simbologias e grande parte delas é mesmo um mistério.
Talvez o passado seja mais nebuloso que o futuro.

Saudações,


Hugo

Maria Inez Veronezi Correia disse...

Gostei de saber dos perigos que representa essa árvore.

Unknown disse...

Maravilhoso esse conhecimento ...obgdo...Deus é Deus

Familia Boas Novas disse...

Bastante interessante e condizente,concluo que os maçons que deteem tanto conhecimento saibam tais coisas, pois tem fortes relações com a acássia, mesmo nos dias de hoje. parabéns pela feliz abordagem.

paulofreiredapaz disse...

Eu tenho uma dessas árvores no meu jardim. É lindíssima! É um pilriteiro como se di9z em Portugal. Tem espinhos e dá umas baguinhas alaranjadas de que os pássaros gostam muito e pode-se fazer geleia delas. Algo que provei pela 1ª vez no ano passado. muito gostoso. A propósito. o que acham da azinheira onde se manifestou um ser divino, feminino em Fátima? mas também apareceu um menino em redor da azinheira andando no chão, resplandecente. Foi avistado pela 4ª vidente. está nos arquivos de Fátima e preferem não falar disso, porque quem o viu não quis ser freira.

Postar um comentário