quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Mandrágora - A Raiz Gritadeira


A mandrágora é considerada uma planta mágica desde a antiguidade. Ela aparece, inclusive, em textos do antigo testamento (no livro do Gênesis e no Cântico dos Cânticos).
Desde tempos remotos usa-se a mandrágora para os mais diversos fins; dizem que ela possui qualidades de natureza medicinal e, tanto médicos como curandeiros, a recomendavam principalmente como analgésico e narcótico. Mas seu uso ia muito mais além, pois acreditava-se que ela era afrodisíaca e alucinógena.
Era muito utilizada pelos antigos romanos como anestésico em suas cirurgias, mas em tempos medievais poucos a utilizavam por ser considerada uma planta de mau agouro.
A raiz desta planta, assemelha-se a um ser humano e, em alguns casos, a um perfeito feto. Devido à esta semelhança, muitos mitos e lendas foram criados ao redor da mangrágora e seu uso na magia e na bruxaria estava também relacionado a esta similaridade. 
Mandrake
Acredita-se que a lenda da raiz gritadeira tenha origem na Idade Média. Para que a raiz da planta pudesse manter suas propriedades mágicas, ela devia ser arrancada somente em noites de lua cheia e, para extraí-la, devia-se utilizar uma corda com uma das pontas amarradas nas ramas da planta e a outra ao pescoço de um cão, de preferência preto. Sendo assim, o cão puxaria a raiz e a mandrágora sairia do solo sem grandes problemas. Caso contrário, diz a lenda, extraí-la sem o devido cuidado poderia ter efeito devastador. Ao ter sua raiz exposta, a mandrágora soltaria um grito tão horripilante e estridente que podia ser fatal  a qualquer um que estivesse por perto.
É sabido que a superstição medieval ultrapassava muitos limites e é bem provável que muitos preferiam não arriscar extrai-la de outra maneira.



Cuidado


Vale lembrar que a mandrágora, ainda muito procurada principalmente para para uso em rituais e poções mágicas, é altamente tóxica.
Há dois gêneros de plantas de nome "mandrágora" que são bem distintas e de famílias diferentes. Uma é parente do tomate e é considerada a verdadeira. Trata-se da Mandragora officinalis ; possui flores roxas e suas folhas se assemelham às da tançagem. A outra (Bryonia dioica) é parente da abóbora e possui as folhas em forma de palma; tem flores brancas e pequenos frutos vermelhos; é também conhecida como "Nabo-do-diabo".
Devido às dificuldades em encontrar mandrágoras em países fora da Europa, quando se trata de fins mágicos, utiliza-se, ao invés delas, o gengibre ou o ginseng. Ambas raízes também têm aspectos que se assemelham a um ser humano (antropomorfismo), com a vantagem de não serem venenosas.
Algumas pessoas me escrevem perguntando se eu conheço algum fornecedor e mudas ou sementes, portanto, serei bem enfático nesta questão:

1 - Até mesmo na Europa, onde é nativa, é difícil encontrar mudas de mandrágora.
2 - É uma espécie onde o comércio na Europa não é bem visto por apresentar diversos ricos devido às suas propriedades tóxica.
3 - É uma planta que dificilmente se adapta a climas diferentes daquele onde é endêmica. No Brasil está praticamente fora de questão adaptação.
4 - É extremamente frágil e de difícil cultivo.
5 - Faça uma busca no Google e procure pela palavra "Mandrake Plant", você verá que a maioria das imagens são de desenhos ou ilustrações e pouquíssimas são retratos da planta. É difícil até mesmo ser fotografada.

Talvez, na Idade Média, onde as matas europeias eram mais densas, fosse mais fácil encontra-las na natureza. Hoje é realmente algo raro de se ver.


ATENÇÃO: Definitivamente, desconheço qualquer forma de conseguir a planta e nem fontes seguras de vendas, portanto, não poderei ajudar nesta busca.
 




14 comentários:

Arthur disse...

amei esse post é bem interessante

Branca disse...

Preciso de mandrágoras

Hugo Mendes disse...

Se você está no Brasil, isto será muito difícil...

Guilherme Ray martins da Silva disse...

No Brasil. nós temos o gengibre, haha

UMBANDA disse...

Estou procurando para compra uma mandrágorA carlos 22936847 obrigado

All disse...

Aqui, no Brasil, possuímos duas qualidades de Mandrágora officinalis. Para ser mais exato, aqui no Sul. Devido à importação de sementes forrageiras para pastagens nos anos 40 aos 60, foram introduzidas algumas gramíneas Européias para oferecer a mesma nutrição que o gado de leite provindo da mesma região. Nesta situação, junto às variedades de gramíneas, vieram também algumas sementes de mandrágora que, hoje, estão mais adaptadas ao nosso clima oferecendo uma planta mais robusta e resistente ao clima. Quando eu for ao interior novamente, fotografarei as variedades e postarei em seu blog se permitir.

Atenciosamente, Alexandre.

Hugo (Oengus) disse...

Olá Alexandre,

Obrigado por esta informação. Ficarei muito feliz se puder me encaminhar a foto sim, e mais informações sobre esta variedade.
Se puder, quando possível, entre na página "Vale do Mago" do facebook e conversamos por ali.

Saudações,

Hugo

Adriana Farias disse...

Mas aí eu tb fiquei curiosa pra saber onde tem...

Rafael Dos Anjos disse...

Vende sim essa raiz no ebay

ludofinal disse...

Comecei a conhecer mandrágora no capítulo 1 de Heroine Iysayana e depois vi que também é citado na bíblia (dizendo que ê bom melhorar a fertilidade da mulher) e fui lendo até chegar aqui. Ben legal! XD

Leila Núbia Cunha disse...

Amei este blog ! Parabéns.

ronald colares disse...

para fins misticos ou a´´alternativos´ sera que posso usar o gengibre ou ginseng como citado,sera que tem a mesma finalidade?

Hugo disse...

Olá Ronald.... Sinto muito não poder lhe ajudar, é que eu realmente não pratico magia...

Adilson Las-cazas disse...

Hugo e Alexandre: No sul do Brasil como dizeram acima, tem mandrágora? Ou sementes para vender?

Abraços,
Rodrigo
rodrigo_una@yahoo.com.br

Postar um comentário